Neste ensaio serão elaborados vários trabalhos que pretendem enfatizar como a memória esquece e imagina. Podemos acusar a memória de ser pouco confiável, mas não a imaginação.
A cera será o material utilizado para enfatizar a memória que muda o que foi, que reinventa, representando a impossibilidade de recordação total.
Serão, portanto, trabalhados temas que reforçam este “derretimento” da memória recente e/ou passada:
1. Memória Reinventada: a caixa de slides é preenchida com cera, tornando a visão das imagens inacessível, reforçando que é impossível rever e recordar tudo,
2. Design Silenciado: um banco e uma mesa escolar foram desconstruídos com intuito de se tornarem inúteis, sem ergonomia, simbolizando o apagamento do design, como referência ao período que trabalhei como designer de móveis há anos atrás e que hoje se encontra sob a forma de esquecimento. A cera foi derretida e jogada sobre o tampo da mesa inclinado, apagando o que foi escrito, representando o esquecimento da memória recente. A escolha da mesa escolar enfatiza que reminiscências tanto escolares como as do design permanecem, o passado não é completamente silenciado, mas sim, reinventado.
Fotografia/Photo.
Jato de tinta em papel algodão / Jet Ink
Trabalho em andamento / work in progress
Edição/Edition: 8 + 2 pa