O BLOGUE DE AI WEI WEI: ESCRITOS, ENTREVISTAS E ARENGAS DIGITAIS, 2006-2009

LIVRO RECOMENDADO: O blogue de Ai Wei Wei existiu no período entre 2006 e 2009, quando foi censurado e apagado da internet. O livro organiza, edita e seleciona inúmeros textos que abordam as opiniões de Ai Wei Wei, um “artista-ativista” que defende a liberdade de expressão, assim como a democracia. Com certeza o artista foi influenciado por seu pai, que já havia criticado o regime Chinês, sendo considerado inimigo do povo e obrigado a se exilar, juntamente com a família, no interior do país com intuito de se reeducar. 

De 1981 a 1983 Ai Wei Wei mora nos Estados Unidos e começa a estudar arte, quando então seu pai adoece, ele retorna a China e se une a artistas chineses, iniciando seu trabalho de artista-ativista. Já em 1999 ele se dispõe a desenhar seu próprio estúdio em uma única tarde e construí-lo em cem dias. Desde então inicia sua trajetória de arquiteto tendo como premissa o uso de materiais baratos e técnicas de construção simples. Tais atitudes o levam em 2003 a colaborar com Herzog e De Meuron no projeto do Novo Estádio Nacional de Pequim, o conhecido “Ninho de Pássaro”, apesar de criticar sistematicamente as Olimpíadas. Em 2005, uma emergente plataforma de blogue o convida para ser destaque em sua homepage. Apesar de inicialmente Ai Wei Wei não possuir nenhuma habilidade com a internet, ele aceita o convite e começa a explorar as inúmeras possibilidades que a internet vai lhe propiciando, o aproximando de forma inédita dos leitores. Através da internet cria uma performance denominada “movimento de massas”, na qual  leva 1001 chineses a Documenta de Kassel, permitindo interações pessoais e culturais entre os participantes. Já em 2009, Ai Wei Wei começa a enfatizar a baixa qualidade das construções chinesas, abordando a escola que não se sustentou diante do terremoto ocorrido na cidade de Wenchuan, causando a morte de milhares de crianças. O blogue trabalhou de forma investigativa se dedicando ao cadastramento dos nomes das crianças mortas. Contudo, na ocasião o governos Chinês tentava minimizar a gravidade da tragédia, omitindo a quantidade de crianças mortas, (somavam 5.210 em 2010) e apagando o conteúdo do blogue em diversos momentos. A partir daí, o telefone de Ai Wei Wei foi grampeado, ele passou a ser vigiado, o bloque interceptado e sua casa monitorada, culminando no fim do blogue neste mesmo ano.

As postagens exibidas em ordem cronológica são uma excelente experiência de leitura, nos permitindo adentrar dentro dos universo e dos pensamentos de Ai Wei Wei.

Helena Rios

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *