A CENSURA NA ARTE

ROBERT MAPPLETHORPE E A POLÊMICA QUE ENVOLVE SUA ARTE

O trabalho do artista Robert Mapplethorpe já foi censurado inúmeras vezes. Ainda hoje, a polêmica envolvendo a obra do artista não foi atenuada.

Neste mês, o burburinho ocorreu no Museu Serralves, em Porto. A direção do museu limitou a entrada a maiores de 18 anos em uma parte da exposição do artista. Além de ter retirado de exibição algumas fotografias. O diretor artístico da instituição e curador da mostra, João Ribas, disse não concordar com tal atitude e pediu demissão do cargo.

Desde então a visitação à exposição está intensa. São mostradas 159 fotografias, em que são exibidos nus, retratos e flores, revelando o interesse do artista pela sexualidade. 

Realmente existe muita força no trabalho de Mapplethorpe. Cenas de sadomasoquismo, manifestações de homossexualidade, imagens de halterofilistas, tudo com tom erótico, impactam. Mas o mundo é heterogêneo e vai à exposição somente quem quiser. 

No início de sua carreira, o artista trabalhou com colagens, posteriormente fez uso de uma polaroid e se apropriou de imagens de revistas de musculação, explorando a anatomia do corpo. O uso da imagem instantânea permite a interação com o retratado e a criação de performances intimistas. Isso abriu a possibilidade de os nus serem exibidos naturalmente, como se fossem um objeto qualquer. 

Há beleza em suas imagens, seja pelo contraste entre corpos brancos e negros, seja pela forma física, pela geometria, pela composição e pela luz.  As flores por ele retratadas também se tornam eróticas.

O artista atenta ao fato de que o corpo humano masculino foi completamente suprimido das representações fotográficas, enquanto, na arte, são encontradas muitas esculturas masculinas. 

 

Se pensarmos claramente, até hoje podemos perceber, na mídia, a exibição de imagens femininas que exploram a nudez como forma de sedução. E enquanto os homens aparentam ser fortes, poderosos e sedutores, sem necessitar fazer uso do nu. A arte, desde o Renascimento, explora a imagem da mulher frágil e nua e a do homem mais composto e poderoso. Esses estereótipos se tornaram uma marca tão arraigada culturalmente que, se tentarmos inverter os papéis, certamente iremos presenciar um desconforto.

O homem negro também é pouco representado. Não me lembro de super-heróis negros, por exemplo; sei que existem, mas são pouco conhecidos. A cultura norte-americana discrimina o negro, e Robert Mapplethorpe, ao retratá-los, lhes dá dignidade, mesmo que com cenas eróticas. 

Enfim, Mapplethorpe é um artista obcecado pela representação da sua realidade, pelo enquadramento perfeito e pela melhor forma de exibir artistas, amigos e cenas eróticas que se tornaram polêmicas.

Referências | Fotos:

http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/robert-mapplethorpe/as-imagens-da-polemica-exposicao-de-mapplethorpe-em-serralves

Conheça o trabalho visionário de Robert Mapplethorpe, fotógrafo que foi amante de Patti Smith

Clique aqui e conheça Helena Teixeira Rios

Helena Rios

4 Comments

  1. Helena. Deixo aqui o meu comentário.
    Continue assim … trazendo informações interessantes, textos bem esclarecedores e fotografias maravilhosas
    Te amo. Parabéns

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *