DAVID HOCKNEY E A OBRA MAIS CARA DO MUNDO

Quem leu o livro que recomendei em post anterior, Sete dias no mundo da arte, de Sarah Thornton (recomendação de livro, publicado no dia 02 de agosto, neste blog), certamente se inteirou dos números estratosféricos que estão fazendo parte do mercado da arte.  

. Em 2013, uma obra de Jeff Koons, “Balloon Dog”, foi vendida por US$ 58 milhões (aprox. R$ 242 milhões);

 

. Em 2015, Gerhard Richter vendeu a obra “Abstraktes Bild”(1988) por US$ 46 milhões (aprox. R$ 192 milhões);

Em novembro, será a vez de David Hockney. A obra “Portrait of an Artist” (1972) será leiloada pela Christie’s, de Nova Iorque, com valor de venda estimado em US$ 80 milhões (aprox. R$ 334 milhões). Portanto, ainda não se sabe se o valor será realmente alcançado.

A obra pertence a Joe Lewis, que também conta, em sua coleção, com quadros de Picasso, Matisse, Chagall e Lucian Freud. Além disso, o bilionário também é dono do time de futebol Tottenham Hotspur.

David Hockney é inglês, nasceu em 1937 e foi aluno do Royal College of Art, em Londres, tendo estudado com Francis Bacon e Peter Blake. Em 1960, mudou-se para os Estados Unidos, onde começou a fazer uso da fotografia. Em 1966, conheceu Peter Schlesinger, que foi seu namorado.  

No quadro “Portrait of an Artist”, aqui em questão, esse namorado está representado em pé, olhando o nadador, John St. Clair, na piscina. O quadro foi pintado após o término da relação com Peter e é considerado a obra mais importante do artista. 

O estudo, em anexo, mostra a montagem das fotografias e o processo utilizado pelo artista para pintar. Foram usadas duas imagens díspares, que posteriormente foram montadas em etapas subsequentes. A pintura enfatiza a distância emocional entre o nadador e o observador, expressando a complexidade das relações humanas. O artista é obcecado pela representação do movimento da água, sendo valorizado pela maestria em perceber e captar a energia dos lugares, das pessoas, das relações e da realidade.

David Hockney explora sobretudo o efeito da fotografia nas pinturas. Ele diz ter sido influenciado por Matisse e Picasso, que sem dúvida contribuíram para a formação de seu estilo distinto. 

Hoje com 81 anos, o pintor enfrentou problemas de coração e uma surdez parcial, o que não o impediu de continuar com seu ritmo de trabalho, pintando, com cores vivas e alegres que traduzem seu otimismo, seus cenários domésticos e cotidianos – sua casa, seus caminhos, suas relações. 

Em 2017, foi realizada, na Tate Britain, uma retrospectiva do artista, que contou com 250 obras e demorou quatro anos para ser montada. O curador, Andrew Wilson, define David Hockney como uma “força da natureza”, enfatizando a fase do artista, nos anos 1980, em que ele cria montagens a partir de imagens tiradas por uma máquina Polaroid.

 

David Hockney também criou cenários para ópera e hoje trabalha com instalações digitais que mostram as mudanças das estações. É um artista que não se prende ao passado, certamente, preferindo inovar, percebendo o que está por vir.

Atualização: A obra foi arrematada no leilão da Christie´s em Nova Iorque por US$ 90,3 milhões. Valor recorde para um artista vivo.

Referências e fotos:

David HOCKNEY – Portrait of an artist (pool with two figures)

http://www.sothebys.com/en/auctions/ecatalogue/2016/contemporary-art-evening-auction-n09572/lot.34.htmlhttps://observador.pt/2018/09/14/o-quadro-de-david-hockney-pode-vir-a-ser-um-dos-mais-caros-de-um-artista-vivo/

Clique aqui e conheça Helena Teixeira Rios

 

Helena Rios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *