SHARKIFICATION

O primeiro livro de Cristina de Middel, The Afronauts, foi um sucesso. Nele, a artista cria uma ficção em cima de um falido programa espacial ocorrido na Zâmbia em 1964. 

Após essa edição, em 2014, a artista foi convidada para fazer uma residência no Rio de Janeiro. Como resultado dessa residência, foi lançado, algum tempo depois, o livro Sharkification. O foco de atenção é a violência dos “Morros”, mesmo após a implantação das UPPs. 

Cristina de Middel coloca no cerne de suas fotografias a dicotomia vivenciada nas favelas: vigilância ou violência. Acredita que os moradores vivem como peixes, e os policiais como tubarões. 

A capa de Sharkification, com acabamento fantástico, é outro ponto de destaque. Nela, um mapa com a impressão de um lago ou açude nos chama a atenção. Nas páginas seguintes, a “água” desse lago invade o espaço do livro. Seu tom azulado ocupa as fotografias, conferindo-lhe um ar de mistério. Entremeando esses mapas, são inseridas algumas notícias de ações policiais ocorridas no Morro e outras sobre balas perdidas. A impressão é ilegível, assim como a imagem que formamos da favela. 

Há um embasamento, e não mais se sabe se a intervenção policial é benéfica ou não, se é solução ou problema. As fotos são tensas, densas, como se algo estivesse na iminência de acontecer; contudo, há momentos de calmaria. 

No final, uma imagem do Corcovado revela que, aconteça o que acontecer, o Cristo se manterá imutável, assim como a vida de todos aqueles que não pertencem a essa realidade. 

Um livro para apreciar com calma. Vale a pena!

AUTORA: CRISTINA DE MIDDEL

EDITORA MADALENA

Fotos retiradas da internet

Clique aqui e conheça Helena Teixeira Rios

Helena Rios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *